Astrosofia e Astrodiagnose aplicadas à Medicina

A prática médica atual se distanciou muito do conhecimento das antigas tradições. Saber cada vez mais de cada vez menos é uma das consequências da especialização. Fundamental, portanto é o resgate da tradição e o alinhamento do bem conquistado pela sabedoria antiga com o que a tecnologia atual oferece como alternativa terapêutica.

Astrosofia significa a sabedoria dos astros e se baseia na máxima hermética: “Assim como é em cima é embaixo”. Traduzindo em miúdos, do mesmo modo que o genoma (DNA) guarda um campo de informações próprio de cada indivíduo, a organização do céu no momento do nascimento possui uma geometria portadora de informações. Esse campo informacional não é determinista e não diz respeito a um destino, mas aponta os recursos do indivíduo assim como as tendências pessoais, enquanto traços da personalidade e da essência mais profunda de cada ser.
A repetição de padrões e a contínua busca de zonas de conforto são motivos comuns de adoecimento. Reconhecer padrões, lidar com os mesmos de forma saudável assim como sair das zonas de conforto são alternativas importantes para uma vida produtiva e significativa. Nesse sentido a saúde é indissociável da ideia de uma vida com sentido.

De fato conforme o conhecimento milenar (Tao) de que assim como as coisas são em cima (céu) elas são embaixo (terra), a astrosofia e a astrodiagnose são ferramentas que permitem um olhar profundo ao sentido existencial pessoal. Essas ferramentas são de auxílio inimaginável na emancipação do indivíduo preso ao senso comum e à opinião pública. Uma vez consciente desse campo de informações, que não determinam senão apenas convidam, a pessoa pode se libertar das expectativas do meio que a cerca, tomar a vida nas próprias mãos e apropriar-se de sua missão pessoal. Aqui na CMA temos um especialista que aplica esse conhecimento milenar à saúde.